O que você precisa saber sobre os testes de COVID-19 em uma viagem

A cada dia e por causa da pandemia do novo Coronavírus, o que não falta são atualizações a respeito das viagens e também daquelas que são internacionais. O teste também pode facilitar essa viagem e a vida dos que precisam viajar. É uma condição que é de entrada e que está sendo cada vez mais imposta por diversos países.

Cada país possui as suas próprias regras. Ao apresentar um teste que seja negativo para a COVID-19, o viajante terá permissão para circular nos lugares que já estão abertos para os visitantes. Ainda há o risco que, ao desembarcar em um determinado destino, ter de ficar em quarentena. A recomendação dos órgãos de saúde é o de ainda evitar as viagens desnecessárias.

Contudo, a frequência que é de voos ou a quantidade que é a de passageiros, está aumentando aos poucos. Nessa realidade, surgem diversas dúvidas, como as que estão acontecendo esses voos, quais os cuidados com as companhias, as autoridades aeroportuárias e os próprios passageiros, como se devem comportar durante todo o processo que é o de viagem, dentro de uma aeronave.

Se precisar realizar uma viagem que seja essencial durante essa pandemia, é muito importante estar atualizado sobre todos os requisitos que são para a entrada em um país, para não se ter problemas pouco antes de embarcar. Ter um teste para o novo Coronavírus pode ser uma emergência que está sendo imposta, com cada país atentando-se para todas as exigências.

Na maioria dos casos, o teste de COVID-19 em viagens deve ser feito entre 72 e 96 horas, antes do embarque na aeronave. O viajante sempre deve se informar com as companhias aéreas ou os consulados de cada país. Tenha em mente que cada laboratório que é feito o teste para o COVID-19 tem o seu prazo de entrega dos resultados. Em média em até 2 dias é possível ter essa resposta.

Seguro viagem em tempos de pandemia 

Ate pouco tempo atrás, os seguros viagens era algo que não podia faltar numa viagem, para alguns países do exterior e com a pandemia ele se tornou ainda mais importante. Entretanto, você sabe se os seguros em uma viagem cobrem essa doença em uma viagem. Diante da possibilidade de contrair essa doença ou outras em uma viagem, um seguro é de fundamental importância.

É fortemente recomendado que se compre passagens aéreas dentro das tarifas que possam possibilitar uma remarcação que é de datas, ou seja, devem ser escolhidas aquelas viagens que possam possibilitar uma remarcação ou um cancelamento que seja de graça. O mínimo que podemos fazer em uma viagem é o de contratar um serviço que é de seguro viagem.

Esse seguro deve cobrir todas as despesas que são associadas para a proteção de nossa saúde e que estejam associadas ao novo coronavírus. No Brasil, há algumas seguradoras que cobrem o teste de COVID-19 ou uma internação com essa doença em um país que é estrangeiro. É um reembolso importante e que os viajantes precisam saber alguns detalhes nessa viagem.

Numa situação em que numa viagem, seja infectado pelo Coronavírus, vai para um hospital e lá fica confirmado que o viajante está infectado, será a partir desse momento que o seu seguro viagem deixará de valer, com qualquer um dos gastos a partir daí, sendo pago do bolso do viajante. Devido a isso é muito importante se atentar ao tipo de seguro que se está contratando.

Outras empresas que são desse setor já estudam rever esse modelo de atendimento em uma viagem, o que ampliaria ainda mais o leque que é de coberturas. Muitos especialistas recomendam que o viajante tenha cautela, na hora de decidir qual o destino dessa viagem, quanto em relação ao serviço que se está contratando nesse seguro, para uma viagem acontecer sem problemas.

Os testes de COVID-19 para as viagens aéreas   

Esse teste que é o destinado para as viagens é o molecular RT-PCR. Ele tem esse nome, por ser pedido pela maior parte dos países. A sua sigla vem do inglês e significa Reverse-Transcriptase Polymerase Chain Reaction. É um exame visto como um método de ouro. Frente aos demais é considerado como o mais confiável pela comunidade científica internacional.

Esse exame é capaz de detectar a presença do vírus no organismo, por meio da coleta de material que é genético de um paciente, que podem ser amostras de secreção, coletadas pela garganta ou pelo nariz, que é recolhido, com uma espécie que é de cotonete, que é conhecido como swab. É um tipo de exame que pode detectar esse vírus no período que ele ainda está agindo no organismo.

Desse modo, o teste de RT-PCR pode detectar esse vírus entre o terceiro dia e o décimo segundo dia. Ele é denominado o teste que é para uma viagem, como o mais indicado, sendo diferente dos testes que são os sorológicos, que são usados para diagnosticar previamente essa doença ou para saber se houve um contato com esse vírus.

A apresentação de um exame na viagem 

No momento não existe nenhuma recomendação que possa obrigar as companhias aéreas ou as autoridades que são aeroportuárias que são do Brasil, para que sejam exigidos os exames ou testes aos seus passageiros. Outros países que são do exterior podem fazer essa exigência aos passageiros que são os brasileiros e que estão desembarcando nesses destinos internacionais.

Por causa de uma determinação que é feita pelos seus governos, nos voos com destinos que são internacionais, será obrigatória a apresentação de testes RT-PCR para COVID-19, que deverá ser feito num prazo que é de até 72 horas, antes da saída de um voo e que deve apresentar um resultado que seja negativo. A recomendação é a de se pesquisar sobre todas essas dúvidas para viajar.

A exigência para o teste de RT-PCR que seja negativo vale também para os brasileiros que moram legalmente em algumas regiões que são da União Europeia, como Portugal e França e que queiram voltar para as suas casas. Países como Alemanha e Islândia colocaram como requisito esse teste para entrada nesses países. É um teste muito pedido e importante para a sua viagem internacional.  

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

Comments

0 comments

Viajar de avião com crianças durante a pandemia