Destinos

Viajar para Grécia

Anúncios

Não tem como dizer que a Grécia não seja encantadora, seu povo, sua cultura e sua história só podem ser ditos com adjetivos no superlativo. O país é banhado por um dos mares mais famosos da Europa e da Ásia, carregado de simbolismos e história, que somente os mares Jônico, Mediterrâneo, Mirtóico e Egeu tem para oferecer.

E eles entregam ilhas fantásticas, entregando uma mistura de belezas naturais que são praticamente incontáveis. Mas não é só as ilhas que são exuberantes, o continente também é indescritível, já que conta com as montanhas do Peloponeso, as rochas de Meteora e diversos outros cartões postais que servem para abrilhantar ainda mais a região.

É possível encontrar os vestígios de Péricles e enxergar o apogeu da cultura grega ao visitar Atenas; entender as origens dos Jogos Olímpicos visitando a cidade de Olímpia, se encantar com as cúpulas azuis e as paisagens maravilhosas de Santorini e, é claro, conhecer as badaladas parias de Mykonos.

Ainda é possível encontrar as pegadas dessa antiga civilização, que entregam um patrimônio arquitetônico, filosófico e cultural, o qual não pode ser medido nem valorado. Pensando em conhecer um pouco dessa história da Grécia e da humanidade, é preciso passar por Creta do Minotauro e de Delos dos deuses.

A Grécia é o berço da democracia, sendo que nesse local já havia esse pensamento a mais de 3 ou 4 mil anos e já entregavam uma mitologia das mais maravilhosas, a qual hoje em dia faz com que os seus turistas fiquem de boca aberta.

Além de tudo isso, não podemos esquecer que existe uma gastronomia das mais conceituadas, sendo que cada uma das ilhas apresenta uma culinária local, que passa de uma clássica salada horiatiki até incríveis pratos com frutos do mar, muito regado no azeite e servido com vinho, principalmente para homenagear Baco.

Ilha Mykonos

Roteiros interessantes para viajar para a Grécia

Um bom roteiro para a Grécia precisa combinar uma grande quantidade de destinos, mesclando locais continentais e insulares e até mesmo uma passeada na Turquia. Obviamente o viajante pode escolher por programas fechados, como é o caso de cruzeiros, mas também é uma boa ideia fazer um roteiro mais independente.

Para esse roteiro sem ser fechado o ideal é passar quatro noites em Atenas, em seguida, uma noite em Olímpia e duas ou três noites para conhecer a região de Meteora. Terminando essa área, o viajante pode ir para Delfos (fazendo uma parada em Tabas) e em seguida se dirigir para a área insular da viagem, passando uma semana conhecendo Delos, Mykonos e Santorini.

Na parte das ilhas de sua viagem, é interessante optar por mini-cruzeiros que variam de três a oito noites, para conhecer uma grande quantidade de ilhas e aproveitando para conhecer o litoral turco, parando em Éfeso e Kusadai.

Como chegar na Grécia

Chegar na Grécia pode ser um problema pra o turista brasileiro, já que não existem voos diretos, sendo necessário realizar alguma conexão em uma capital europeia. Dessa forma as opções que podem ser feitas pelo viajante são: Air France – com conexão em Paris; Alitalia – com conexão em Milão; British Airways – com conexão em Londres; Ibéria – com conexão em Madri; KLM – com conexão em Amsterdã; Swiss – com conexão em Zurique; e TAP – com conexão em Lisboa.

O aeroporto internacional de Atenas, Elefetherios Venizelos, está situado a 27 quilometros do centro da cidade, apresentando uma grande vantagem, já que ele apresenta uma estação do metro dentro do aeroporto. O seu bilhete custa € 6 e leva o turista até o porto de Pireu, localizado a 11 quilometros do centro de Atenas.

Realizar o trajeto de ônibus a passagem fica por € 3,20 e a corrida realizada por táxi fica aproximadamente € 40. Entretanto, se você pensa que taxistas malandros são exclusividade brasileira, você está enganado, já que alguns motoristas do local mudam a bandeira do taxímetro no meio da viagem apenas para cobrar mais caro a viagem.

Além disso, ainda é possível pegar um engarrafamento, fazendo com que a sua viagem acabe ficando muito mais cara, sendo que dentre as possibilidades possíveis, escolher o metrô é o meio mais conveniente.

Meteora – Grécia

Como circular na Grécia

Como já foi mencionado um dos locais que precisam ser visitados na Grécia são as suas ilhas, dessas formas o transporte aéreo é uma das opções mais interessante para aquelas pessoas que querem visitar as ilhas, porém contam com pouco tempo – é preciso lembrar que a distância entre as ilhas, em alguns casos, é bastante longa.

Dessa forma existem companhias aéreas regionais que realizam voos domésticos entre o continente e as ilhas, como é o caso da Olympic Airlines, Aegean Airlines e Aegean Airlines. Para as pessoas que querem ou gostam de dirigir é bastante simples alugar um carro para explorar o país dessa maneira.

O país conta com mais de mil ilhas, existe toda uma logística de circulação de barcos, navios, ferryboats e hidrofólios (que são barcos bastante rápidos). Nesse caso existe uma grande quantidade de agências, principalmente nos portos, que mostram os horários e preços de cada um dos trechos, de forma que o viajante também pode tirar dúvidas e conseguir informações sobre os cruzeiros que passam pelas diferentes ilhas do arquipélago.

Quando viajar para a Grécia?

Na realidade o clima grego é menos influenciado pelo período, mas sim muito mais pelas suas geografias, ou seja, o clima é influenciado se você estará numa região montanhosa, estará no continente ou nas ilhas – e pensando nas ilhas, a localização também conta bastante.

Santorini

Mas pensando no clima de uma forma geral é possível dizer que o inverno é bastante ameno e o verão é bem quente e seco, com temperaturas bastante altas, só para ilustrar o Verão em Atenas é possível ter temperaturas que ultrapasse os 40 graus.

Já o frio castiga bastante as regiões mais montanhosas ou aquelas que são mais afastadas do mar, sendo que é bem comum ter neve nas montanhas mais altas, possibilitando a prática de esportes de inverno.

Julho e agosto é considerada a alta temporada, já que uma grande quantidade de turistas chega até a Grécia para curtir o sol, o calor e as badalações que são encontradas em suas ilhas. Por ser uma época mais cheia os preços das hospedagens, alimentação e transportes sobem bastante de preço, mas a frequência de transportes aéreos e marítimos também aumentam, ficando muito mais simples a locomoção pelas ilhas.

Entretanto para aquelas pessoas que gostam de um local mais tranquilo para curtir a sua viagem, o melhor período é de abril a junho ou de setembro a outubro.

Em Alta

content

Roteiro para os principais pontos turísticos em Sabará

A cidade de Sabará, em Minas Gerais, foi fundada no ano de 1675, pela condição de povoado, depois que um arraial de bandeirantes chegou até essa região, com o intuito de fazer fama e fortuna, enquanto o que muitos outros fizeram foi miséria, na época da corrida do ouro, que tomou conta, nesse período, nessa região.

Continue lendo
content

Uma viagem até Domingos Martins – Região serrana do Espirito Santo

Domingos Martins é um município do estado do Espirito Santo e fica situado a aproximadamente 42 km de Vitória, pelo seu acesso principal que é pela BR-262, numa região montanhosa desse estado.

Continue lendo

Você também pode gostar

content

São Paulo: Uma Jornada de Sabores e Atrações Turísticas Imperdíveis

São Paulo é uma cidade conhecida pela sua diversidade cultural e, não por acaso, a gastronomia é um reflexo dessa variedade. Com influências de diversas partes do mundo, a capital paulista é um verdadeiro mosaico de sabores.

Continue lendo