Uma aventureira viagem até a Serra da Capivara

A porta de entrada para a Serra da Capivara é em São Raimundo Nonato, que é uma pequena cidade que fica a cerca de 41 km da Serra. É um parque que é denominado como um patrimônio mundial da UNESCO. Ela fica situada no interior do estado do Piauí, com uma beleza que é incrivelmente natural e numa região que também abriga muitos antigos vestígios que foram de ocupação humana.


A forma que é considerada como a mais rápida para se ter acesso até essa reserva é pelos aeroportos de Teresina e de Petrolina, que ficam no estado vizinho de Pernambuco. Muitos de seus visitantes pretendem conhecer esse destino com um pouco mais de calma, sem que não se torne uma viagem exaustiva. O Parque Nacional da Serra da Capivara está aberto à visitação desde o ano de 1979.


Um exótico passeio
Passear pela Serra da Capivara é percorrer por trajetos e aproveitando para ter uma bela aula que é de história e a partir do saber, sobre a toda a sua civilização, que é bem antiga e que pode ser vista em suas pinturas que são rupestres, que são com mais de 12 mil anos, com muitos fósseis ou artefatos que eram utilizados por esses homens primitivos.


Há também para os visitantes todo um acervo que é arqueológico e que é rodeado por uma paisagem que é natural e formada por cactos, cânions, baixões, serras, formações que são de rochas, grutas e de vales que podem ser admiradas por um mirante ou veja a sua vegetação de caatinga ou a sua fauna com algumas de suas mais comuns espécies de cobra cascavel, preás, iguanas, sapos e outros animais.


O que conhecer nesse destino
Uma viagem até a Serra da Capivara será com circuitos que podem compreender o Parque Nacional da Serra da Capivara, que é com muitas belezas. Através de um guia será possível realizar belos passeios que são incríveis e que pode remontar a antiguidade, com desenhos que são primitivos, de até 100 metros de altura. São longos e que podem envolver muitas trilhas que podem durar até 4 horas.


O Parque Nacional da Serra da Capivara, além de ser um patrimônio histórico é um abrigo para muitos artefatos de civilizações que eram antigas, por um legado que era cultural que foi deixado pelos seus descendentes. São mais de 1200 sítios que são arqueológicos, considerados o maior do mundo e com os seus mais de 170 sítios que são abertos ao público, com mais de 40 mil pinturas rupestres.


Tudo isso fica guardado e dividido em 4 circuitos e que para serem vistos tudo o que é reservado, é recomendado que sejam reservados alguns dias para não perder nada. Começamos pelo Circuito Serra Branca para se observar cerca de 60 sítios que são arqueológicos, com muitas figuras encontradas com pinturas, que são com traços grossos e sem percepção de movimentos.

Outro circuito que pode ser visitado é o de Baixão da Pedra Furada que é o que recebe o maior número de turistas e aonde se pode avistar uma fogueira que foi feita há 50 mil anos atrás. Há também reproduções em seu museu que são originais, como a machadinha de pedra polida. No circuito é abrigado o Alto da Pedra, o Sítio do Meio e a Pedra Furada. É com boa infraestrutura para a sua visita.


O Desfiladeiro da Capivara é destinado para os que gostam de trekking e são amantes de arqueologia, que é com uma boa conservação de sua vegetação por causa da sua umidade do ar que invade esse lugar. Há nele, trilhas que são de 4 km que podem levar até ao Boqueirão do Paraíso e também ao Circuito dos Veadinhos que enriquecerão ainda mais esse passeio arqueológico.


O último circuito é o do Baixão das Andorinhas que é com um fenômeno muito interessante para a observação de seus visitantes, que poderão apreciar uma bela paisagem ao pôr do sol e ainda observarem muitas andorinhas que voam nessa região e que se dirigem para as fendas que são de um cânion que mede 90 metros de profundidade, numa bela cena que é natural e abrigando 12 sítios arqueológicos.


Mais aventura na Serra da Capivara
As trilhas também são consideradas uma opção para se ver as pinturas, as figuras e os desenhos que são rupestres e que são bem antigos, datados de séculos atrás em seus sítios que são arqueológicos. Porém, esses percursos podem ser considerados como de difícil acesso e que pode exigir de seus praticantes muito preparo que é físico, com belas recompensas de um visual que é lindo e reconfortador.


Faça a Trilha da Energisa que é cheia de pinturas rupestres, com formações geológicas e num percurso de 8 km de muita subida, pedra e areia. A Trilha do Hombu que é com 9 km de subidas e de descidas para se observar os boqueirões e seus sítios arqueológicos. A Trilha Fazenda Jurubeba nos sítios da Toca da Dama e da Toca da Ema, com casas que foram construídas desde o século XIX.


Para finalizar, as trilhas que separamos, falamos sobre a do Caldeirão dos Rodrigues que é a mais difícil de todas, com 4 horas para ir e voltar, em percursos que são de escada de pedra, que levam a pinturas e caldeirões que são antigos e com reservas de água. Reserve alguns dias para essa viagem que será de muita aventura e que com certeza será incrível para todos os seus visitantes.

O artesanato e o seu acervo
O seu artesanato também é muito famoso nesse local e em todo o Brasil, por se encontrar uma fábrica que é de cerâmica ao centro e com desenhos que podem fazer uma referência as suas figuras que são rupestres e que podem ser vistas em todos os paredões desse parque. Uma verdadeira aula de arqueologia ao ar livre para todos os seus visitantes.


O Museu do Homem Americano é o reflexo de 4 décadas que foram de pesquisas arqueológicas, sobre toda uma evolução que era destinada para o homem pré- histórico. Em seu acervo podem ser encontrados mais de 50 mil objetos que são pré-históricos, como as urnas funerárias, muitas ferramentas, fósseis, objetos domésticos e muitos outros objetos que são com descrições rupestres.

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

Comments

0 comments

Turismo em Genebra e todos os seus encantos

Conheça o país da Escócia em 9 dias